Blog

dr-fernando_post_Hidratação_nos_idosos
26 abril , 2018

Hidratação nos idosos

Estudo apresentado recentemente na reunião anual da American Physiological Society (APS), na Experimental Biology 2018, em San Diego, explora a associação entre o estado de hidratação antes do exercício físico e a cognição com exercícios em idosos. A desidratação demonstrou ser prejudicial ao desempenho da atividade física e a função cerebral em jovens, mas pouco se sabe sobre seu impacto na população idosa. “A meia-idade e os adultos mais velhos frequentemente apresentam uma percepção da sede embotada, o que os coloca em risco de desidratação e, subsequentemente, podem reduzir os benefícios do exercício relacionados à saúde cognitiva”, escreveu a equipe de pesquisadores.

Os pesquisadores recrutaram ciclistas recreativos (idade média de 55 anos) que participaram de um grande evento de ciclismo em dia quente (26-30 °C). Os ciclistas realizaram um teste de função executiva de “trilha” – conectando de forma rápida e precisa pontos numerados usando papel e lápis – antes e depois do evento. A função executiva inclui as habilidades necessárias para planejar, focalizar, lembrar e executar várias tarefas.

A equipe de pesquisa testou a urina dos voluntários antes do início dos exercícios e os dividiu em dois grupos com base em seu estado de hidratação: hidratação normal e desidratados. O grupo de hidratação normal apresentou melhora significativa no tempo de conclusão do teste de trilha após o ciclismo quando comparado ao teste pré-ciclagem. O grupo de desidratação também completou seu teste pós-ciclagem mais rapidamente, mas a redução do tempo não foi significativa.

“Isso sugere que os adultos mais velhos devem adotar comportamentos adequados de beber para reduzir a fadiga cognitiva e potencialmente aumentar os benefícios cognitivos da participação regular de exercícios”, escreveram os pesquisadores.

 

Autor

Dr. Fernando Almeida

Endocrinologista

Veja também

Quer mais cursos e dicas?